Pesquisar
ENGLISH

Sobre

Tatiana Macedo cresceu e estudou em Lisboa e em Londres (Licenciada em Fine Arts e Mestre em Antropologia de Culturas Visuais),  expõe internacionalmente e está representada em coleções privadas e institucionais como o MNAC - Museu Nacional de Arte Contemporânea, Museu do Chiado, MAAT - Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia e Coleção Fernando Figueiredo Ribeiro. A sua obra desenvolve-se transdisciplinarmente entre a fotografia, o cinema, a instalação, o som e as suas formas expandidas. O seu primeiro filme Seems so long ago, Nancy (2012) ganhou o Saw Film Prize pela AAA-American Anthropological Association, (Washington-DC) e foi inteiramente rodado na Tate Modern e Tate Britain e em 2015 foi a primeira vencedora do Prémio Sonae Media Art com a obra de cinema expandido intitulada 1989. Durante o ano de 2016 foi artista residente na Künstlerhaus Bethanien em Berlim com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. Exposições recentes incluem Natural Beauty (Trienal de Arquitectura de Lisboa 2019),  Ficção e Fabricação: Fotografia de Arquitetura após a Revolução Digital, comissariado por Pedro Gadanho e Sérgio Fazenda Rodrigues, (MAAT, 2019), Afri-Cola (Carlos Carvalho Arte Contemporânea , 2019), Esgotaram-se os Nomes para as Tempestades,  comissariada por Delfim Sardo (Culturgest Porto, 2018), Orientalism and Reverse (Carlos Carvalho Arte Contemporânea, 2017), Orientalism and Reverse, Jeju Bienial of Contemporary Art (Coreia do Sul, 2017), XXIII Rohkunstbau comissariada por Mark Gisbourne (Brandemburgo 2017), Bela (Künstlerhaus Bethanien, Berlim, 2016), Orientalism and Reverse, Kunstraumbotschaft (Berlim, 2016), 1989 (Sonae Media Art Award - MNAC, Lisboa, 2015 / 16), Seems so long ago, Nancy (Ano Zero - Coimbra Biennial of Contemporary Art, 2015), Foreign Grey (Solar - Galeria de Arte Cinemática, Vila do Conde, 2014), Seems so long ago, Nancy, Tegenboschvanvreden Gallery (Amesterdão, 2014), Staff Only (MNAC, Lisboa, 2013 / 14) e Visões do Desterro (Caixa Cultural do Rio de Janeiro, Brasil, 2013), entre outras. Foi bolseira da Fundação Oriente, do CNC- Centro Nacional de Cultura e da Fundação Calouste Gulbenkian. O seu trabalho é exploratório, poético e de grande rigor técnico, crítico e conceptual. 

 

Obras