Pesquisar
ENGLISH

Sobre

 

Nesta primeira exposição individual da Joana da Conceição na galeria Carlos Carvalho Arte Contemporânea poderemos acompanhar as várias linhas de trabalho da artista que podem ser vistas em articulação.

Apresentar uma obra de arte é interferir directamente no cosmos das formas já existentes trazendo considerações outras, quer seja através dos significados introduzidos ou pela utilização de axiomas estéticos diferenciados. Por isso, não se focando apenas na introdução de formas que acrescentam outra linguagem ao mundo, o trabalho de Joana da Conceição alarga-se ao modo de criação de princípios definidores que situam o seu trabalho na fronteira entre o figurativo e o abstracto. E é nesta bipolaridade que poderemos inserir aquilo que a artista define como a gramática secreta, uma concepção criada para apreender e representar o real. É o ponto de contacto do observador com o mundo, um artifício da consciência que regula e constrói a representação. 

Mais longe da intuição e improvisação do que da sistematização, Joana da Conceição pinta o tem índice na experiência sensível, indissociável da autoria, e que por isso enforma um espaço inteligível exclusivo - criado e manipulado - pela própria artista. Esta ordem de conflito entre dois pólos dissemelhantes que a artista utiliza para expandir o seu próprio inconsciente óptico, constitui um campo de possibilidades em que referências artísticas convivem com narrativas simbólicas e concepções holísticas.

Exposição